O que é CMYK? O que é RGB?

21 de novembro de 2016 Journal

Para começarmos a falar de design, nada melhor do que começar do começo! Vamos falar de padrões cromáticos que você vê nos softwares gráficos. Sabe o que é CMYK? E RGB?

Basicamente, você precisa entender uma diferença básica: CMYK é para impressão e RGB é para tela, visto isso, vamos às definições:

CMYK

cmyk

As cores básicas de impressão: ciano, magenta, amarelo e preto. A sigla é formada pelo inglês: cyan, magenta, yellow e black. O k significa key – padrão ou base.
Se juntarmos 100% de magenta, 100% de ciano e 100% de amarelo, o resultado será um preto amarronzado ou esverdeado (síntese subtrativa, baseada na reflexão da luz). A ausência de todas as cores será branco. Nesse caso como estamos falando de impressão, a ausência de cor, será a cor do suporte de impressão, que pode ser papel, vinil, adesivo, papelão, entre outros. Não existe tinta branca em impressão 4 cores.

Em tese, a sobreposição dos pigmentos cian, magenta e amarelo produziria, por si só, o preto – e por isso o pigmento preto seria dispensável. Porém, os pigmentos economicamente viáveis são impuros: estima-se que as tintas cian cheguem a conter 25% de magenta, o próprio magenta guarde até 40% de amarelo em sua composição e o amarelo tenha até 10% de magenta. Essa impureza não é tão perceptível nos meios-tons, mas chama a atenção quando as três tintas são sobrepostas numa impressão a traço: o resultado é um preto amarronzado ou esverdeado – justamente o resultado da sobreposição desses componentes adicionais “impuros” dos três pigmentos. É por isso que o preto é incluído como uma quarta cor de seleção, de forma a corrigir as impurezas dos tons mais escuros. VILLAS-BOAS, André. Produção Gráfica para Designers. Pág, 35.

RGB

rgb

Modelo cromático para cores em forma de luz representado pelas cores vermelha (Red), verde (Green) e azul (Blue), presentes em todos os dispositivos eletrônicos que utilizam telas ou monitores. É um sistema aditivo de cores primárias (síntese aditiva, baseada na emissão de luz), isto é, a soma de suas cores básicas resultam em branco.
É importante entender que a cor que se vê na tela, não será a mesma cor na impressão, por isso é sempre importante fazer teste de cores nos projetos, antes de mandar para impressão final.

CMYK e RGB são escalas tão diferenciadas que a mistura de suas cores de seleção tem resultados radicalmente distintos: luzes vermelhas, verdes e azuis misturadas resultarão num feixe branco; tintas cian, magenta e amarela, se misturadas, resultarão em algo semelhante ao preto. Por isso, para produzir um impresso, torna-se sempre necessário converter as cores originais geradas nos programas (em RGB) para CMYK – a adequada ao uso de pigmentos para impressão e adotada pela quase totalidade do mercado. VILLAS-BOAS, André. Produção Gráfica para Designers. Pág, 36.

MAS, O QUE É PANTONE?

pantone

Ao contrário do que muitos pensam, Pantone não é uma tinta e sim, uma empresa que fabrica escalas cromáticas, que servem de base para a escolha de cores especiais para aplicação em diversos suportes (papel é um deles, como também podem ser plásticos ou tecidos). As cores da tabela Pantone não são feitas a partir da escala CMYK, são tons especiais, produzidos para que a cor não sofra variação de aplicação em diversas peças. A PANTONE TEM O SEU CATÁLOGO CONFECCIONADO A PARTIR DE 14 CORES BÁSICAS, QUE RESULTAM EM 1.114 CORES DIFERENTES (Silva, Claudio. Produção Gráfica: Novas Tecnologias). Quando trabalhamos uma impressão que tem partes em 4 cores e temos uma especial, trabalhamos com 5 cores. Por exemplo: uma capa de livro é impressa em 4 cores, mas possui um detalhe em um tom dourado da tabela Pantone.